sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Fidelidade partidária?Onde?

Moro no interior de Minas,Inhapim, onde todos se conhecem.Aqui o tempo parou em relação ao quesito politicagem.(política ainda é utopia).
Temos duas facções que orgulhosamente se intitulam:pica-pau e corta guela.Enchem os pulmões para dizer que é deste ou daquele partido até morrer,pois o avô,o pai,o papagaio, sempre foram e se percebe um orgulho ufanista presente na alma desses meus nobres conterrâneos.
Até aí, tudo bem,cada um faz o que achar melhor.
Quando chega o período eleitoral é um Deus nos acuda.Panelinhas se formam,todos se conspiram,os melhores amigos são do seu partido e por aí vai.
No entanto, os prefeitos vão se alternando no poder e a cada eleição começa tudo outra vez.Quem mora no interior sabe do que estou a dizer.Todavia, desta vez parece que o pessoal do 14x+y estão abandonando o barco e demonstrando que fidelidade só acontece quando não há interesse em jogo e o pior estão enganando o povo com mentiras e indo até ao interior do município divulgando santinhos cujo número não corresponde ao governador do partido.Por outro lado alguns professores da outra ala não aceitam votar no candidato X,pois ele não pertence a sua dita facção.E são instruídos pelos chefes políticos a votarem em branco.Falo de professores que sofreram esses oito anos,que reclamam dos desmandos e agora se negam a votar diferente, em nome de uma politicagem ultrapassada.Fico indignada com alguns profissionais que trabalham no Ensino Médio de minha cidade,local onde deveria ensinar democracia e sobretudo cidadania.
Na verdade a maioria dos funcionários que trabalham comigo estão engajados na luta,preocupados com o destino da EDUCAÇÃO, tão falada pelos políticos em tempo eleitoral e tão esquecida ao longo do mandato,e sem esquecer que qualidade é substantivo e precisa de adjetivo.
Adjetivo esse que faz toda diferença.
Queremos é educação de BOA qualidade,profissionais também.
Aos nobres colegas profissionais da educação,peço que usem da fidelidade que nos moveu durante quarenta e sete dias de luta,esqueçamos facções ultrapassadas e basta destes candidatos que a cada cidade diferente se posiciona também diferente.

Um comentário:

  1. Getúlio Fernandes da Silva8 de setembro de 2010 15:35

    Concordo plenamente com o que foi escrito por você sobre a política em cidade pequena e, são nessas horas que percebemos que os "cabrestos" ainda não sairam das "caras" das pessoas. Parabéns.

    ResponderExcluir