sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Sou ébrio na vida
meu passo é curto
perdi minha história
não sei o meu rumo

O fardo é pesado
Drummond não ajuda
Os ombros  estão fartos
Não quero ser Hércules
Se eu tivesse um fio  de esperança
eu não duvidaria
seria uma ninfa ou uma rainha

Meu tempo é escasso
talvez não perceba
                                                                                    busquei Afrodite
                                                                                     querendo ser deusa

As amoras vermelhas
contam a verdade
do sangue derramado

Quiçá um dia
o lobo faminto
alimente sua alma
e perca o instinto
do velho que foi
As feridas são muitas
e mal divididas
palavras não bastam

A minha parte do latifúndio
foi invadida
perdi minha terra
virei uma cigana
que não conhece destino


Escrevo o que sinto
lavando minha alma
Acredito que um dia
eu entenderei
as preces que faço





Nenhum comentário:

Postar um comentário