segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Minha prisão não é como as outras
vivo presa em uma cidade pequena que encanta e ao mesmo tempo me afugenta.
Os livros que leio,tecem minha prisão,não com teias de fios dourados ou prateados,mas tecem com fios que me entrelaçam e me deixam só.
Padeço dessa prisão e dessa solidão,
Sinto -me amada por meus filhos,minha mãe,meus irmãos e até por alguns poucos amigos que conquistei,mas falta algo.
Há uma força enorme que precisa ter um destino
Há um carinho mais que humano encostando em um canto,sem saber para onde ir..
Há um quê de cansaço.
Há uma esperança em encontrar o que busco sem ao menos saber onde.como e o porquê.
Minha prisão vai além da matéria,ela esboça um querer e não querer ao mesmo tempo
Não sei como,mas necessito perceber Deus presente em cada um e a ele dar minha resposta,mas de que forma?
Indagações,reflexões
Nada irá me tirar dessa condição humana que eu me envolvi
E essa solidão será minha companheira.
Tenho que aceitar.
Minha prisão não é como as outras
vivo presa em uma cidade pequena que encanta e ao mesmo tempo me afugenta.
Os livros que leio,tecem minha prisão,não com teias de fios dourados ou prateados,mas tecem com fios que me entrelaçam e me deixam só.
Padeço dessa prisão e dessa solidão,
Sinto -me amada por meus filhos,minha mãe,meus irmãos e até por alguns poucos amigos que conquistei,mas falta algo.
Há uma força enorme que precisa ter um destino
Há um carinho mais que humano encostando em um canto,sem saber para onde ir..
Há um quê de cansaço.
Há uma esperança em encontrar o que busco sem ao menos saber onde.como e o porquê.
Minha prisão vai além da matéria,ela esboça um querer e não querer ao mesmo tempo
Não sei como,mas necessito perceber Deus presente em cada um e a ele dar minha resposta,mas de que forma?
Indagações,reflexões
Nada irá me tirar dessa condição humana que eu me envolvi
E essa solidão será minha companheira.
Tenho que aceitar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário