quinta-feira, 15 de maio de 2014

                          Inspirado em uma história que me contaram e como eu adoro ouvir e contar histórias....
A moça tecia um casaco em lã multicolorida,olhando um vídeo que ensinava tricô.
Sua página estava aberta em uma rede que ensina línguas e ela de repente fez um exercício em Espanhol e então alguém corrigiu e começaram a conversar.
Dessa conversa para uma rede social foi um passo.
E ela muito feliz,pois estava conversando com um nativo da língua.
Qual não foi sua surpresa quando ele começou a falar de livros,músicas,filmes,pois há tanto tempo que ela não ouvia ninguém falando de clássicos e com tanta paixão.
Na verdade ela se encantou,sentiu de repente um caminho para sair da solidão cultural em que vivia.
E ele falava em Espanhol e ela respondia em Português,os dois se entendendo e um completando o outro,literatura ,música,arte,tudo o que tanto queria conversar estava acontecendo.Descobriu alguém com mesmo interesse que ela:o amor ao conhecimento.Ela ouvia músicas clássicas que ele enviava.
Tudo muito lindo como em um conto de fadas moderno,pois as fadas não preocupam com leituras,não é mesmo?
E o tricô ficou muitos dias parado.Também com aquele calor quem é que vai querer mexer com lã?
Bom e continuei ouvindo que a moça vivia sorrindo,as pessoas começaram a perceber a mudança.Até sua professora de Português,notou a diferença e fez um daqueles comentários que ela adorou.Ela estava no auge de sua  existência,sorria o tempo todo,cantava,dava cada risada de umas piadas bobas.
E eu fiquei intrigada e com vontade de perguntar sobre o rapaz que ela conversava,mas não consegui entender de onde ele era.Se era da América Latina ou da Europa.
Só sei que até hoje ela está muito feliz.
Sou a professora de Português dela.
Ainda vou conseguir entender direitinho esse amor virtual que encantou minha aluna e tenho certeza que descobrirei o nome do rapaz e ainda serei amiga virtual dele também,
Não que eu queira competir com aquela linda morena do terceiro ano,mas quero descobrir o segredo de tanta satisfação e contar para vocês o outro lado da história e quem sabe,eu poderei exibir um pouco do Português para esse apaixonado por nossa cultura e me fazer de cupido e dar uma mãozinha nesse suposto amor internacional.

sexta-feira, 9 de maio de 2014



 Outro  dia um  amigo,também professor,escreveu algo muito bonito sobre o tempo e as obras literárias.E eu fiz o comentário abaixo:

E o tempo também pensou em se libertar foi até aos mares conhecer os monstros de Camões,chorar Julieta,sofrer com os árcades,mirar o Retrato de Dorian Gray,subiu montanhas da Galileia,rodopiou freneticamente,encontrou Platão,sorriu e se fez presente na Távola Redonda,presenciou Heresias,rugiu feito Dante com sua visão dramática.Não calou diante de poderosos,sofreu com o jovem werther.Presenciou o amor dePaul Verlaine e Rimbaud, continuou sua trajetória, viu A Cidade de Deus e Agostinho,conheceu a oratória de Cícero,chorou com Neruda,bofeteou Gregório de Mattos,sorriu da ingenuidade de Quaresma,amou intensamente Maria Moura,delirou com as preás de Baleia,nadou no Riacho Doce,foi ao Xingu com Moacyr Scliar,idolatrou nosso herói sem caráter,fez o voo de Fernão Capelo Gaivota,colocou o Dedo verde na imaginação e com o Pequeno Príncipe se viu construtor das ideias,Conheceu Gil Vicente e o reconheceu em Suassuna.E para não ter uma morte severina,teve uma Vida em Segredo enquanto As Meninas de Lygia faziam uma Ciranda de Pedra para Gabriela ficar na roda junto com Dona Flor.E assim o tempo deparou com A Moça da Serra de Drummond,por ela se apaixonou e fizeram Uma festa de Babette,embalados ao som de uma música que tocava em uma casa de Antares e A Metamorfose aconteceu até que em Cem Anos de Solidão ele se encontrou,feliz como Água para Chocolate.A menina era Cecília que sempre quis ser poeta e não poetisa que de mãos dadas com Rachel,Clarice,Marina,Patricia Melo,Mary DEl Priore,Stella,Ana Maria,Maria, Maria de Minas ,Rosina Chaves,Rosângela Vieira RochaEdna Vieira Rocha de Rezende(a artista de minha terra)formaram um grupo tão interessante que o tempo não teve outra alternativa a não ser convidar também João Henrique Gonçalves, Carlos Herculano Lopes,Chico Lopes, Celso Sisto para celebrar o dom maior:a busca incansável pelo amor ao conhecimento.

quinta-feira, 1 de maio de 2014



Analisando o atual modelo político e tendo em vista as eleições desse ano,fico pensando o quanto nós,trabalhadores da educação,perdemos ao longo desses anos.
Nossa realidade é vergonhosa.Nossos alunos são os mais prejudicados,pois eles chegam até nós sem requisitos prévios para cursar um 2ºano ou 3º do Ensino Médio.(meu caso,só estou trabalhando com essas séries).
Querem que sejamos suportes para nossos alunos sem que nós os tenhamos.
Somos pais,psicólogos,suportes e não temos nada para nos ajudar.
Esse Reiventando o Ensino Médio foi a maior "furada" do governo mineiro.
Sexto período só ficam alunos que não usam transporte.Eles ficam revoltados,pois o professor do sexto período tem a OBRIGAÇÃO de dar uma atenção maior para aqueles que são obrigados a irem embora,pois o transporte não os esperam.
Reuniões demais em dias de sábado,para não resolver nada.
Estou tão cansada de tanta farsa,de tantas leis,de tanta coisa,que o que me alegrava antes em minha profissão,hoje me entristece cada dia mais.Ainda faço bem meu trabalho.Tivemos em nossa escola uma boa aprovação em escolas federais e pelo PROUNI.Nenhum professor que empenhou em ajudar esses alunos e nem esses alunos foram elogiados.Só querem sugar cada dia mais nosso suor.Querem calar nossa voz e eu não calo.Minas Gerais é na educação uma senzala e o palácio da Liberdade a casa grande.  
 Não temos candidatos que representam a educação,pois os que são eleitos rapidamente esquecem de nós e ainda somos muito desunidos.
Um lei que conseguiu nos colocar em três situações diferentes para se fazer o mesmo trabalho.
Trabalhadores que nunca se unem para uma manifestação não merecem que tenhamos respeito,pois eu senti na pele diretora de escola batendo bateria enquanto nosso grupo ,2010,fazíamos manifestações em frente as escolas.Passamos fome e nem um café as escolas por nós visitadas nos serviam e agora querem que eu ajude?Em quê posso ajudar?Em nada,pois somos nada com essa desunião,mas há tempo de acordar,não deixar esse "playboy mineiro" chegar ao palácio do planalto,pois aí sim,estaremos dando uma clara demonstração de idiotice.Não tenho candidato(a) ainda,estou refletindo muito e esperando chegar a hora certa,mas uma coisa eu digo:Minas já não aguenta mais.A educação pede socorro.