quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Analisei a prova do Enem,e ,percebi que ela não estava difícil,mas com certa maldade e sem muito daquilo que trabalhamos.Talvez alguns dirão que professora é essa que questiona um exame de amplitude nacional e midiática,porém vejo que esse tipo de
exame não contempla de verdade aquele aluno que estudou,"ralou", para adquirir conhecimentos,deixou de divertir para empenhar um pouco mais,uma vez que a escola
pública não oferece com boa qualidade todo aprendizado necessário ou que se pensava para tal exame.
Cobrou leitura,mas de uma forma,que em sua maioria deixou a desejar.
Não me atrevi em questionar as outras provas,questiono a de linguagens , códigos e sua tecnologias.
Vi uma questão em que a obra ,de onde retiraram o texto, faz parte do Realismo e queriam que o aluno descobrisse a quebra da expectativa romântica.
Há questões bobas,outras bem elaboradas,porém sem grande importância.Isso desestimula um bom professor de Literatura,pois poucos textos de nossos autores,parece-me que valorizaram demais os textos eletrônicos.Isso não seria tão importante assim,todavia com essa dimensão continental de nosso país,temos alunos e escolas distantes dessa realidade no norte e nordeste e em outros rincões.Percebo que a busca do conhecimento está superficial e esse exame até que me provem o contrário,não mede igualitariamente nossos alunos.
Me sinto perdida,sem saber que rumo tomar,pois sei que a educação não é só conhecimentos,que não preparamos nossos alunos só para O Enem,também para a vida,contudo a vida de muitos deles depende desse exame ,que em minha opinião ,deixou muito a desejar.
Questões onde havia trechos de Dolores Duran,Noel Rosa,etc.,não é o problema,mas o que me entristece é que nossos alunos foram direcionados para um certo tipo de estudo e a cobrança veio maliciosa,deixando de fora autores que muito bem representam nossa rica literatura.
Acho que preciso urgente arranjar um outro emprego e deixar de ser professora.Estou "careta" demais e minha cabeça não consegue acompanhar a evolução que existe hoje.


Nenhum comentário:

Postar um comentário