terça-feira, 31 de agosto de 2010

Comunicado aos servidores

Foi com muita indignação que recebi,ontem, um falso contra-cheque,pois na verdade era um comunicado aos servidores onde o nosso querido e" amado mestre chefe",nos informa sobre as alterações trazidas pela Lei 18.975/2010,sancionada em 30 de Junho,destacam-se:

-aumento de salário para a maior parte dos servidores.(sic)

-Opção de jornada de 30 horas de trabalho para os professores,etc.

_etc.etc.

E termina o comunicado em forma de contra-cheque ,informando que "A secretaria de educação,diretamente ou por meio das Superintendências Regionais de Ensino,divulgará novas orientações. "
Fico pensando ,será que entendi errado? É isso mesmo?
Parece que a minha inteligência foi subestimada.É incrível como usam de todas as armas para
continuarem no poder.Manipulam dados, mostram uma realidade utópica e fazem o ridículo papel de querer a qualquer custo convencer o servidor público de que são ótimos gestores.
O pior de tudo isso é que há pessoas que acreditam neles.
Que o nosso voto possa dar um basta a estas hipocrisias.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Telefonemas que incomodam

Várias pessoas de nossa comunidade receberam ligações do dito cujo carcará sanguinolento.Uma figura de anjo em forma diabólica.
Esses telefonemas mostram o desperdício de dinheiro e de uma certa forma até mesmo intimidação.
É preciso ficar atentos pois o desespero em continuar comandando Minas faz com que eles busquem alternativas de todas as espécies para ludibriar e convencer os menos desavisados.
Faço um apelo a cada aluno e a cada professor que não deixem esses covardes continuarem exercendo seus"podres poderes".
Façamos uma corrente onde cada professor,secretário,serviçais,diretores,alunos,pais e familiares possam dizer não a esses que sempre ludribiam a educação com máscaras de bons governantes,que apenas educam através de seus gabinentes sem ao menos tomar conhecimento de nossa realidade,com salas mal cuidadas fisicamente e superlotadas na maioria com alunos sem rumo e sem conhecimentos necessários para a série matriculada.
E Minas avança,tampando o sol com a peneira.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010


É interresante como nós carecemos de leitura.
Tomo por exemplo as Olímpiadas em Lingua portuguesa que encerramos os trabalhos essa semana.
Nossa escola fez um trabalho interdisciplinar onde cada professor trabalhou artigo de opinião com temas variados e polêmicos.
Achei interessante pois percebo em muitos colegas uma preguiça para a leitura,muitos leem somente assuntos específicos de sua área de atuação .(Quando o fazem)
O que me chamou a atenção foi o fato de que alguns colegas nunca havia trazido um texto para trabalhar e quando fizeram em virtude do projeto,disseram que foi muito bom e que houve particapação dos alunos.
Um fato corriqueiro em minhas aulas é a questão da leitura,pois sempre estou incentivando meus alunos e recomendo livros o tempo todo e infelizmente não vejo a mesma leitura sendo feita por nossos colegas professores,com algumas exceções.
Percebo uma dificuldade de entendimento e até mesmo uma fraca participação política por parte de alguns que ainda defendem um modelo de escola ultrapassada e que não acreditam que a mudança deve partir de cada um.
No período em que estivemos em greve , a escola em que ministro 47 aulas esteve totalmente paralisada em relação às aulas,porém alguns fizeram a chamada greve branca e isso é resultado de uma falta de leitura ou também de comodismo.
Então pergunto:Se nossos colegas procurassem mais informações,não estariam mais preparados para ensinar cidadania e mostrar aos nossos alunos sugestões de caminhos?
É preciso que cada um de nós busque melhorar e não esperar somente pelas políticas públicas.
Meus alunos que leem com frequência são os que melhor escrevem e ou debatem assuntos diversificados.
Uso do recurso da correção coletiva,pois seria humanamente impossível ler tantos textos em pouco tempo e quem escreve gosta que alguém leia pois caso contrário não teria sentido escrever sem que haja pessoas para ler.
É preciso então que comecemos a melhorar a educação começando por cada um de nós.